Pular para o conteúdo principal

GIL DO VIGOR BBB21

"EU NÃO PODIA SER QUEM DE FATO EU SOU" - GIL DO VIGOR #BBB21

A história do Gil representa uma multidão de pessoas que vivem aprisionadas pelo conservadorismo e hipocrisia da sociedade religiosa tradicionalista. Pessoas que foram e são doutrinadas a entenderem a fé pelo prisma da repressão e do conflito. Aprenderam a brigar com consigo, porque não podem e não devem aceitar qualquer outra possibilidade de não fazerem parte do grupo dos que se julgam normais por serem heterossexuais. 

Quantos se engajaram em projetos missionários para escapar de julgamentos ou aceitaram a vida ministerial como sacerdotes, sejam padres ou pastores, para fugir dos holofotes. Alguns decidiram por um casamento heterossexual outros pelo celibato - se dizem casados com Cristo. E não posso deixar de citar os que escolheram o extremo oposto e optaram por uma entrega total aos vícios e promiscuidades e, passaram a rejeitar qualquer possibilidade de exercer a fé plenamente sendo que são. Inconscientemente, estas pessoas acreditaram que a homoafetividade e a religião são antagônicas e se repelem. 

Gil, no BBB 21, levantou a bandeira de que é possível ser quem somos e viver a fé que temos, sem medo e sem gatilhos doutrinários que nos oprimam, porque Deus não nos rejeita por sermos LGBTQIA+. Com suas falas e maneira intensa com que viveu o BBB 21, Gil do Vigor se permitiu viver um sonho. 

Enquanto Reverendo homossexual em uma Igreja de Inclusão Eclesial Plena, juntamente com meu esposo, Pastor Raphael Lira, assumimos o compromisso de mostrar para as pessoas que fé não é sobre sexualidade e sim sobre amor, graça, liberdade e diversidade. Assistimos a trajetória do Gil e nos identificamos com seu esforço em mostrar que é possível sim TER FÉ E VIVER A FÉ PLENAMENTE SENDO QUEM SOMOS.

Texto: Reverendo Marvel Souza (Instagram: @marvelsouzaoficial)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Uma reflexão sobre o Tempo (Esboço de pregação)

Esboço de pregação feita pelo Pastor Marvel Souza no dia 28 de agosto de 2017... Celebração Dominical na Igreja Metodista Reconciliadora IPEG:  Texto base: Eclesiastes 3:1-10 O que dizer sobre o Tempo?  1. O tempo tem representações diferentes de acordo com as fases da vida (infância, adolescência, vida adulta) 2. As representações do tempo expressam significados diferentes em cada fase da vida     - Na infância: a vida despreocupada parece dizer que não há tempo - não há contagem de dias, horas ou minutos. Nesta fase é comum lembrar-se apenas da hora de comer e, com muito custo, da hora de dormir;     - Na adolescência: o preparo para vida adulta já começa exigir responsabilidades com o tempo (dia de aula, tarefas em casa, etc);     - Na vida adulta: os compromissos exigem uma organização dentro do que entendemos que é o tempo (horas, minutos, dias, semanas, meses, anos, etc ). Adota-se a agenda. Para alguns o tempo se torna o carrasco da vida - s

ARMAD@S E PERIGOS@S

ARMAD@S E PERIGOS@S... Tão perigoso quanto um inconsequente armado com um revólver, é alguém que tenta desqualificar quem você é, sua formação, seu prestígio e o que você tem. Infelizmente, tenho percebido que quanto mais as pessoas se envolvem com a atual política, esta tem sido uma constante estratégia armamentista: possibilitar o acesso não só às armas de fogo, mas às armas da ignorância que são o despeito, a arrogância, a falta de razoabilidade, o desprezo aos que notoriamente sabem mais, a agressão verbal e física dos que expressam opiniões diferentes, a desqualificação do ensino, dos seus mestres, o ataque constante à ciência, à imprensa, o desmerecimento das políticas públicas de assistência social, a desqualificação das instituições históricas e dos seus membros, o desprezo às lutas legitimamente históricas pelos direitos dos negros, das mulheres, das pessoas LGBT+, das pessoas com necessidades especiais, a desqualificação das universidades públicas, o negacionismo

DEVOLVEU O PRESENTE?

Ao que tudo indica, Flordelis devolveu o presente para Deus... Infelizmente, tem sido uma constante no meio evangélico os escândalos envolvendo política, corrupção, associação com o crime organizado, fraudes de todos os tipos, e mais essa agora: uma pregadora defensora da família tradicional, anti LGBTQI+, nome conhecido em igrejas pentecostais, acusada de ser a mandante do assassinato do próprio marido, quem ela por várias vezes disse ser um presente dado por Deus. Ao que tudo indica, ela devolveu o presente. Reflexivo sobre o uso do termo evangélico ou protestante, às vezes bate uma vergonha de ver o rumo que as coisas estão tomando e me pergunto onde vamos parar. Uma política agressiva, sem ética, sem planejamento, apoiada por maioria de evangélicos cada vez mais se mostra um instrumento do mal e de vexame.  OREMOS PELA NOSSA NAÇÃO! TEXTO POR MARVEL SOUZA (@marvelsouzaoficial)